IR AO BANHEIRO pode ser uma construção equivocada!!!

Interessante como as coisas mudam...
Há uns quatro anos, escrevi em um jornal de Sinop um artigo com este mesmo título, defendendo a regência da preposição A com verbos de movimento como IR, VIR CHEGAR etc.. O pior não foi isso, mas, para dar "diversão" ao texto, ridicularizava o uso de construções como ir no mercado, ...no banheiro, ...no colégio e ...em outros locais".
Que vergonha! Perdoai-me, Pai, eu não sabia o que fazia...
Pois é... nada como estudar!
Lendo o artigo "O Estigma do caipirês" do professor Mário Eduardo Viaro na Revista Língua Portuguesa Ed. 46, descobri que, ao contrário do que se pensa, "IR EM" é uma construção que remonta o Latim e presente em dialetos de Portugal e da Romênia (o Romeno também tem origem latina).
Segundo esse professor essa sintaxe provém da regência latina "ire in"("ir em", em portugês) que significava "ir para dentro de" enquanto que "ire ad" (o famigerado "ir a", que ninguém fala, à exceção dos "cultos") significava "ir à proximidade de".
Se pararmos para pensar, isso é bem possível se compararmos o valor semântico dessas preposições em outras construções adverbiais como "sentar NA mesa / sentar À mesa" ou "bater NA porta / bater À porta" e assim por diante. Vê-se claramente essa relação de proximidade nas contruções com a preposição A e de localização final na preposição EM.
É fato que qualquer tentativa de usar a lógica para dar explicações linguísticas são perigosas e tendem a produzir analogias errôneas. O que acabei de fazer foi justamente comprovar essa afirmação moldando a lógica ao meu favor.
Por isso, meus queridos leitores, tomem muito cuidado com afirmações categóricas no campo da Linguagem. Esta é uma ciência social, ou melhor, "cultural", pois toda linguagem é cultivada pelo povo que a escolhe como código de comunicação.
Até mais ver! (ou IR)

Se ficou curioso, pode ler pela Internet o artigo em que me baseio para escrever este texto
Clique aqui e leia o texto na íntegra.

4 comentários:

  1. Professor, fui sua aluna no colegio maxi e achei seu blog por coincidencia hahaha estava procurando sobre esse assunto e seu blg é um dos poucos que aborda o assunto! parabens!

    ResponderExcluir
  2. Poxa, Jessica, que legal.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  3. que site fraco não fala sobre dialetos

    ResponderExcluir
  4. Desculpe, Sr. Anônimo. Realmente cometi um erro em colocar as vídeo-aulas sobre variações linguísticas somente no marcador vídeo-aulas. Já estou consertando e incluindo o assunto também no marcador Linguística.

    ResponderExcluir